Quinta-feira, 10 de Junho de 2010
-As minhas Biclas..

As bicicletas da minha vida...e que venham mais!!!

 

A minha primeira aquisição do pedal, foi um Triciclo que "trouxe" de uma loja de brinquedos.

Uma pequena distracção por parte da minha mãe, fez que eu trouxesse o mesmo sem pagar por ele.

Era todo em plástico de cor azul com o assento em branco. Lembro-me bem dele, mas infelizmente não tenho fotos dele.

Ainda cheguei a montar-me nele e a descer umas rampas na terra da minha avó. quase se desmanchava todo.

 

A minha primeira bike foi adquirida na Praia de Santa Cruz, numa pequena oficina de bicicletas e motorizadas. Tinha um aspecto "xunga" mas foi lá que vi a minha primeira paixão. Inicialmente era azul, mas num rasgo de mau gosto mudei-lhe a cor para verde (ainda se fosse para vermelho :) ). Foi nela que perdi o medo de andar sem rodas de apoio. Ainda tenho bem viva na minha memória esse dia, em que fui contra a rede da vedação de uma escola ao lado da minha casa. Fiquei marcado na memória e no corpo. Sempre tive "queda" para as bikes e elas proporcionavam-me uns belos tralhos. Infelizmente também não tenho fotos desta altura desportiva da minha vida.

 

Mais tarde fui brindado com uma "jinga" toda marada. Era uma pasteleira das que se abriam ao meio para se dobrarem. Ao inicio era giro andar com as rodas tortas, mas depressa me apercebi que as quedas proporcionavam-se mais rapidamente. Com um guiador que mais parecia um par de chifres e um cesto para levar o farnel, dava para rebater o guiador para trás e sentar no alforges. Sempre fui muito curioso em experimentar novas sensações e novas maneiras de cair :).

 


 

Mais tarde veio a minha primeira "ST" :), uma BMX com amortecedor ao meio que nos fazia sentir um coelho aos pulos no meio dos montes.

Com aquelas almofadas cilíndricas a proteger o quadro e guiador, era bonita e tinha pinta, mas depressa acabava com a beleza das bicicletas, os aranhões na pintura e as amolgadelas davam um ar mais fixe e realista da condução que fazia em cima delas. Desbravei muitos km´s com esta menina e hoje sinto muitas saudades do prazer da condução agressiva e demente.

 


 

Tive uns anos mais tarde a possibilidade de comprar a minha primeira bicicleta de montanha. Era uma Top Sirla toda cromada (na altura os cromados estavam na moda), que reluzia maravilhosamente ao sol. Vinha de forqueta rigida, mas depressa lhe fiz um up-grade com uma suspensão de 60mm mas que só devia trabalhar uns 40mm. Quando fiz esse up-grade já ninguém me parava... escadas, rampas, rêgos, valas... atrevo-me a dizer que devo ter feito alguns milhares de km com esta bike, pois na altura aventurava-me a ir até á zona do Parque das Nações com ela. Levantava-me aos domingos por volta das 7h e lá ia eu sozinho, muitas vezes acompanhado de ciclista que fazia o mesmo percurso. Infelizmente roubaram-me esta bike á porta de casa, fiquei muito desgostoso na altura perdendo a vontade por pedalar.

 

Em consequencia de não ter bike, restaurei uma bicicleta de ciclismo do meu pai, para dar umas voltinhas por estrada, mas o gosto pela bicicleta de montanha e a paixão por desbravar mato era mais forte. Encostei a bicicleta de ciclismo e dediquei-me a outros desportos, tais como ginásio e Tiro com Arco.

 

 

Em 2006 comprei a minha primeira bicicleta de montanha a "sério". Andei a namorar/estudar bicicletas durante mais ou menos 1 ano com o meu melhor amigo, na altura que decidi comprar, ele não quis investir. Comprei uma Gary Fisher Hoo Koo & Koo Disk. A história e a componente "geometria" de que eram feitas convenceram-me da sua compra. Desloquei-me a Setúbal, porque na altura haviam poucas lojas a comercializar a marca.

 

Dei as minhas primeiras grandes passadas no mundo do "BTT" com esta menina e não me arrependo do investimento que fiz, porque mais tarde revelou-se prudente. Fiz alguns up-grades tais como rodas tubeless, desviador de gama superior e um toque aqui e acolá. Foi uma grande máquina.

 

A mesma Gary Fisher teve um problema no quadro, rachou na escora do lado da pedaleira. mas estava tranquilo porque a garantia vitalícia servia para isso mesmo. Contactei o Ricardo Figueiredo (Bicimax) que tinha conhecido na Grande Rota das Aldeias Históricas (GR22), e tratou do meu caso com a máxima brevidade possivel. Em 1 mês tinha o novo quadro GF. Quando soube que era vermelho, fiquei reticente, mas além de ser de gama superior ao meu, a sua apresentação fez-me apaixonar de novo pelo GF Big Sur.

 


 

Aproveitei o quadro novo e investi à grande em alguns componentes de topo, ficando com uma bike com muita "pinta".

A rondar os 10kg, a sua montagem mais leve, mas fiável, levou-me algumas vezes em 2009 ao pódio. Curti muito em cima desta menina e tenho uma grande estima pela marca Gary Fisher, daí a minha alcunha, por ser o único a usar esta marca aqui na zona.

 

Para 2010 decidi remodelar a minha bicicleta para um quadro Mondraker Podium Pro. Necessitava de um quadro mais "racing" para fazer competição, mantendo a GF para treinos e "cabrar". Aproveitei para fazer mais uns up-grades para a "emagrecer". Agora parece a "branca de neve" pelo branco ser a cor predominante, mas está simples como eu gosto e funcional, sem peças que partam. Ou pelo menos que resistam mais...

 

 

Na imagem podem ver (começando da frente para trás) a Suspensão Manitou R7 (1420gr), que para mim é do melhor que há, as rodas Shimano XT (1700gr) que não há melhor no compromisso de fiabilidade/preço, os travões Avid Carbon que são bastante fiáveis mas não primam pelo peso, um guiador Easton ec90 (98gr) que garante toda a fiabilidade que a marca nos dá, Avanço KCNC de 100mm (98gr) perfeito para a minha posição em cima da bicicleta, punhos Ritchey WCS acoplados aos Grip Shift da Sram para dar-me toda a desmultiplicação que necessito. No selim conto com um Selle Italia SLR XC Gel Flow (178gr) que me dá todo o conforto que preciso e está seguro pelo espigão de selim MSC Full Carbon na medida 27,2x410mm. Na transmissão optei este ano por redefinir as relações, passando para 2x9 (28*42X11*34). Alterei a pedaleira XTR com pratos Stronglight e TA e a cassete Continuo a utilizar a fiável Shimano XT com a corrente a condizer. A selecção das velocidades estão a cabo com um Sram XX, melhor desviador para pedaleiras duplas, e um Sram XO atrás. Em relação aos pneus, a minha eleição vai para os Racing Ralph, podendo variar as medidas entre 2.1 e 2.25 para tirar algum conforto, tracção e velocidade. Outra kit que uso por vezes é o Maxxis Larsen TT atrás e o Shwalbe Racing Ralph á frente, este conjunto dá-me rapidez a rolar na traseira e segurança e conforto extra na frente para curvar e transpor zonas técnicas. Já tenho mais uns up-grades que mostrarei em breve.

 

Mais umas fotos da minha actual máquina de empenos:

 

 



Carlos Vitorino às 17:40
|

MENU

- Noticias do mundo despo...

-Sobre mim!!!

-Amigos e Companheiros

-Agenda BTT

-Ponto de Encontro

-Palmarés

-As minhas Biclas..

-Eu e a Bike Magazine

-História da Bicicleta

-Videos BTT

-Treinos e Nutrição

-Diário de treinos (NOVO)

-Patrocinios e Apoios

-Testes de Bicicletas

-Testes Material

-Truques e Dicas

-Rescaldo e Crónicas

-Álbum de fotos BTT

-Álbum de fotos Caminhada...

-Arquivo Track´s GPS

-Contactos

-Links

Patrocínios
Hora
Nº Visitantes

Contador de visitas
Comentários
Toca a votar
Tradutor